ESTUDANTES DO IFRO EM CACOAL PROMOVEM DIFERENTES AÇÕES SOCIAIS
Quinta, 07 de Dezembro de 2017 - Atualizado as 18h22min

Atendendo a um requisito da disciplina de Ética Profissional e Cidadania, um grupo de alunos matriculados no curso de Agroecologia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Cacoal, participaram de um projeto que incentiva os moradores da cidade a doarem sangue. Os alunos atuaram realizando uma divulgação prévia e no atendimento dos doares no dia da coleta, em parceria com a Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Estado de Rondônia (Fhemeron) e com a Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD).

“Devido à localização do nosso campus, teríamos dificuldades em realizar a coleta em nossa unidade. Por isso, aproveitamos a experiência da Igreja Adventista, que já realiza essa campanha junto à Fhemeron todos os anos e trouxemos os nossos alunos para aproveitar a oportunidade de atuar num contexto tão importante à manutenção da saúde”, explicou o professor Clodoaldo Reis, professor da disciplina.

Responsável pelo projeto Vida por Vidas, que incentiva a doação voluntária de sangue e o cadastro para doação de medula óssea, o pastor Washington Ferreira destacou a alegria em receber os alunos do IFRO. “Entendemos que as instituições religiosas podem servir como elo entre as novas gerações e as necessidades sociais. Ter o IFRO juto conosco nesta campanha, consolidada no Brasil e na América do Sul, nos dá a convicção da importância de projetos desta natureza”, comentou.

Influência

Leila Pagung foi uma das alunas envolvidas no projeto. Ela contou que já havia atuado em projetos beneficentes, mas pela primeira realizou uma atividade assistencial a partir da escola. “Creio que foi um dos projetos mais legais que participei. Desde a confecção teórica do projeto, todo mundo estava bem empenhado e animado. Acho extremamente interessante a escola incentivar projetos como esses porque além da parte avaliativa a gente se integra à sociedade de uma forma diferente e pensamos mais nos outros”, disse.

Ela disse ainda que ficou surpresa com a facilidade no processo de doação. “Nunca tinha estado em uma campanha de doação de sangue e não sabia como era o processo. Achei que seria muito demorado, burocrático, inclusive com o cadastramento de doação de medula óssea, mas foi tudo muito prático. Os profissionais eram muito capazes e muito cuidadosos”, destacou Laura.

A jovem lamenta não ter tido a oportunidade de doar no dia da ação já que é menor de idade e estava sem a companhia de um responsável, mas explicou que já colocou todo mundo em casa para também colaborar. “O bom dessas campanhas é que os alunos podem falar para os familiares e o projeto ganhar uma abrangência muito maior. Falei para todo mundo lá em casa e fui com meus pais para eles fazerem o cadastro de medula. A partir de agora, sabendo o quão importante é, não iremos perder mais nenhuma campanha. Convenci minha mãe, alegando que nós duas somos O- e que seria um desperdício de vidas não doar sempre”, relatou.

Fios de solidariedade

Ainda no mês de outubro o foco da campanha foi outro. O projeto Fios de Solidariedade convidou mulheres e homens da comunidade para doarem cabelo em prol de instituições que auxiliam pacientes em tratamento de câncer.

“O mês de outubro foi marcado por ações voltadas à conscientização quanto ao câncer de mama e suas formas de prevenção. Na disciplina de Ética Profissional e Cidadania estimulamos os alunos a elaborar um projeto de ação social e, na esteira do Outubro Rosa, este grupo decidiu arrecadar cabelo para ajudar essas pessoas”, explicou o professor Clodoaldo Reis.

Ele destacou ainda que a ação ocorreu em parceria com o Centro de Formação Profissional do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), que disponibilizou a estrutura do curso de Cabelereiro para atender aos voluntários que se disponibilizaram a doar cerca de 10 centímetros do cabelo para colaborar com a iniciativa.

“A gente entende que o resultado foi muito bom, ainda mais se considerarmos que tivemos pouco tempo de coleta. Estipulamos o período das 14 às 17 horas e conseguimos mais de 20 doações. Foi muito especial perceber que um pouco do tempo que dedicamos pode fazer muita diferença para quem realmente precisa de ajuda”, disse a aluna Barbara Boscato.

PINGO DE GENTE

Também em outubro, uma outra ação social motivou parte dos alunos da mesma turma a compartilhar uma manhã de brincadeiras com as crianças da Casa de Acolhimento Pingo de Gente, com sede em Cacoal.

A ação social também foi proposta na disciplina “Ética profissional e cidadania”, onde os alunos foram estimulados a elaborar os projetos de ação social como projetos de ensino. Posteriormente foi decidido que a ação social seria realizada como projeto de extensão, denominado “caçadores de sorrisos”.

Segundo o coordenador da ação, professor Clodoaldo Cristiano Reis, a atividade serviu para fomentar o desenvolvimento de projetos de ação social entre os alunos, bem como apresentar os trabalhos que são realizados no Campus Cacoal.

“O resultado do evento foi bastante satisfatório. Os alunos ficaram satisfeitos com a ação que realizaram e as crianças do abrigo tiveram uma manhã prazerosa de brincadeiras e algumas guloseimas. A diretora da unidade parabenizou a todos os envolvidos e pediu a continuação do projeto nos próximos anos”, destacou Reis.

  • Fonte: Assessoria
Publicidade
loading... Carregando conteúdo...

Digite aqui seus comentários.

Reload the CAPTCHA codeSpeak the CAPTCHA code
 
Publicidade