Cacoal - CDL promove reunião com empresários para cobrar mais fiscalização sobre comércio temporário
Quarta, 09 de Agosto de 2017 - Atualizado as 08h57min

Empresários se sentindo prejudicados quanto a fácil liberação de comerciantes de rua, que se instalam em Cacoal de forma temporária, procuraram a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e Associação Comercial e Industrial de Cacoal (Acic), para buscar soluções quanto a esse problema. As entidades de classe se reuniram na tarde de segunda-feira (7), com representantes de órgãos públicos onde discutiram o assunto e definiram que as mesmas exigências legais cobradas dos empresários formalizados, também serão exigidas para os comerciantes temporários.

 

No ramo de confecção há cerca de 20 anos, a empresária Leide Cardoso Campos, que também participou da reunião, disse que se sente prejudicada com a facilidade que esses comerciantes temporários encontram para se instalar e comercializar seus produtos na cidade, sem pagar os mesmos tributos cobrados dos demais empresários.

 

“A gente investe na cidade, em produtos especializados, em eventos promovidos pelo município, de repente chega uma pessoa que não gera empregos, nem receita e tira das nossas empresas, o lucro que poderíamos conseguir, e assim manter nossos funcionários e nossa empresa funcionando”, reclamou Leide.

 

Para o presidente da CDL Adeuvaldo Gomes de Brito, o objetivo da reunião foi oferecer segurança ao comércio local, que ajuda a manter a economia do município com geração de empregos e arrecadação de impostos.

 

“Sabemos que todos precisam trabalhar para se manterem, no entanto temos que cobrar que exista igualdade de exigências. Os empresários que possuem CNPJ a cada venda precisa emitir nota fiscal, o que não ocorre com esses comerciantes temporários, eles se instalam no município durante alguns dias, não fazem nenhum tipo de investimento, levam o lucro embora e não deixam nenhuma receita na cidade”, explicou o presidente.

 

O secretário municipal de indústria e comércio Fernando Minervino, disse que não havia se atentado sobre os prejuízos que esse tipo de instalação gera ao empresariado local. Reconheceu também que há brechas na lei que facilitam a entrada desses comerciantes temporários o que deverá ser revisto.

 

“Nós já procuramos a procuradoria-geral do município para discutir essa questão, a ideia é que a instalação desses comerciantes temporários ocorram somente após terem todas as licenças de liberação aprovadas”, esclareceu o secretário.

 

A reunião foi realizada no auditório da CDL e contou com a participação de empresários de vários segmentos da cidade.

  • Fonte: Assessoria
Publicidade
loading... Carregando conteúdo...

Digite aqui seus comentários.

Reload the CAPTCHA codeSpeak the CAPTCHA code
 
Publicidade